bootstrap modal



Foto: Delfi de la Rua, Unsplash

Dicas para elaborar o planejamento da pós-graduação

Um dos fatores responsáveis pela ansiedade e pelo estresse dos pós-graduandos é a falta de planejamento e organização para a pesquisa.

Quando não nos organizamos, tendemos a procrastinar e nossa produtividade acaba baixando. Isso faz com que o tempo passe e nem percebamos.

Um belo dia recebemos um aviso do Programa de Pós-graduação ou do nosso orientador informando que precisamos qualificar até determinada data. É quando bate o pavor e começamos a ficar ansiosos por medo de não conseguir cumprir os prazos.

O tempo é a coisa mais importante que temos na vida. Portanto, é fundamental organizá-lo para que possamos ser produtivos sem perder o equilíbrio.

Quando pergunto aos pós-graduandos se fazem planejamento, em geral, respondem afirmativamente. Porém, quando peço que digam como o fazem, eles me mostram sua agenda diária.

Planejar o dia não é suficiente para aumentar nossa produtividade. Isso requer um planejamento que nos permita ter uma visão mais abrangente do processo.

Trago aqui algumas dicas para que você consiga se organizar melhor e priorizar ações que realmente vão fazer com que você aproveite melhor seu tempo e equilibre as atividades pessoais, familiares e acadêmicas.

1. FAÇA UM DIAGNÓSTICO DE COMO TEM GASTO SEU TEMPO

Cada pessoa tem um fluxo de atenção em determinadas horas; analise em quais momentos do dia sua mente é mais concentrada.

Registre, numa linha de tempo, o que você faz desde a hora que você acorda até a hora de dormir. Isso pode ser feito em intervalos de hora em hora ou de meia em meia hora, conforme preferir.

Faça um gráfico de linhas num software de criação de planilhas para verificar em que momentos do dia está o pico de sua produtividade.

A neurociência já comprovou que tudo em que a gente foca se expande, esta é uma frase feita em função de uma metáfora entre o poder de concentração de nossa mente e uma lupa.

Você já deve ter feito aquele experimento de colocar uma lupa entre uma folha de papel e os raios solares. Se você mantiver a lupa focada em um único ponto por algum tempo, o papel prende fogo. Por que isso acontece?

A energia se concentra onde o foco da lente se fixa, não é mesmo? Assim é com a nossa mente. Saber em que ela costuma estar focada é o primeiro passo para conseguir aproveitar melhor o tempo em busca dos objetivos.

2. AGENDE AS ATIVIDADES MAIS COMPLEXAS PARA OS HORÁRIOS DE PICO DE CONCENTRAÇÃO

Sempre que vamos realizar um planejamento é comum começarmos pelas tarefas mais fáceis e que despendem menos tempo. Proceder dessa maneira é enganar-nos. Criamos apenas uma ilusão de que estamos avançando e sendo produtivos.

Essa atitude pode ser uma autossabotagem para não enfrentarmos tarefas mais difíceis, que exigem muito mais dedicação e trabalho.

Para evitar esse mecanismo sabotador, recomendo que você priorize as atividades mais complexas.

Verifique quais você têm mais dificuldade para realizar, que requerem maior concentração ou precisam de mais tempo de dedicação. Logo separe-as para serem feitas nos horários do dia em que você costuma estar mais concentrado mentalmente.

Coloque as atividades mais simples, que necessitam menor concentração, para serem realizadas nos horários em que sua produtividade é mais baixa.

São exemplos de atividades menos complexas: enviar um e-mail para o seu orientador, telefonar para agendar um horário no médico, postar um conteúdo já pronto num repositório digital, etc.

Faça isso e irá se surpreender com a quantidade de tempo que perde com atividades sem importância.

3. AVALIE QUE ATIVIDADES VÃO FAZER VOCÊ ALCANÇAR SEUS OBJETIVOS

Existem atividades prioritárias, urgentes e circunstanciais. As prioritárias são aquelas capazes de fazer você chegar mais rápido a seus objetivos. As urgentes são as que você deixou de fazer e que agora não podem mais ser proteladas. Já as circunstanciais são as que surgem de última hora.

Avalie quais tarefas precisam realmente ser feitas e quais poderiam ser dispensadas ou delegadas a outra pessoa. Você vai ver como conseguirá alcançar seus objetivos mais rapidamente.

4. CONSIDERE O CAMINHO A SER PERCORRIDO

Realizar um planejamento diário é importante, mas insuficiente para que consigamos ser produtivos.

A falta de planejamento faz com que iniciemos o nosso dia sem clareza do que é mais importante realizar, isso nos deixa mais fragilizados às demandas externas que vão surgindo.

Ao focarmos nos compromissos imediatos que nos são demandados, vamos apagando incêndios e acabamos desfocando das atividades que nos levam em direção aos objetivos.

São os planejamentos de longo e médio prazo que nos possibilitam avaliar nossa produtividade e saber se estamos mantendo o rumo.

É como quando usamos um GPS: precisamos manter o olho no percurso de curto alcance, mas sem perder de vista o destino.

Um planejamento de médio e longo prazo bem estruturado trará clareza em que é mais relevante focar, além de evitar que você assuma compromissos de menos importância, que roubam seu tempo e prejudicam o alcance de suas metas.

É essa clareza que os planejamentos de médio e longo prazo proporcionam, que faz falta aos estudantes de pós-graduação. Por isso, eles se sentem pressionados no final do processo e acabam desenvolvendo quadros de ansiedade e estresse.

5. EQUILIBRE A BUSCA POR RESULTADOS COM SEU BEM ESTAR

Estabelecer metas e objetivos com clareza, manter o foco nos resultados são questões importantes para se alcançar objetivos, mas há que tomar cuidado.

Lembre-se que os objetivos e as metas devem ser elaboradas procurando manter um equilíbrio entre atividades escolares, profissionais, pessoais e familiares, só assim garantirá a qualidade de vida.

Têm pessoas que fazem um planejamento tão focado em resultados acadêmicos que esquecem de equilibrar as atividades racionais com aquelas que irão garantir o equilíbrio emocional.

Lembre-se de incluir no seu planejamento horários para realizar meditação, exercícios físicos, tomar um café com os colegas. Isso não é perda de tempo, como muitos consideram.

Incluir, no planejamento, essas atividades intercaladas com atividades de maior concentração mental ajuda a descontrair e a baixar os níveis de estresse. Assim sua produtividade aumenta.