bootstrap modal



Foto: Doran Erickson, Unsplash

Como vencer a procrastinação e potencializar a concentração nos estudos?

"Alguma vez você já teve que realizar uma tarefa e desperdiçou o seu tempo, literalmente, até o último minuto? Quanto tempo você gasta em atividades que não te levam a alcançar os seus objetivos? "

Steve Allen

A procrastinação é precisamente isto: deixar para depois o que você deveria fazer agora. É aquele famoso “empurrar com a barriga”. É o primeiro obstáculo para a construção de algo. É um dos sintomas da autossabotagem, que surge quando o medo e a falta de autoconfiança paralisam você.

Quem nunca procrastinou? Todos nós já procrastinamos. O problema é que esse hábito nos coloca em apuros, gera ansiedade e, muitas vezes, nos impede de avançar em nossas conquistas.

Se você está fazendo pós-graduação e anda procrastinando, está correndo um sério risco. Imagine a enrascada em que está se colocando, ainda mais se você conta com bolsa de estudos de algum órgão financiador, como o CNPQ ou a CAPES. Além da sensação de fracasso, você ainda terá que arcar com o prejuízo de devolver a bolsa que recebeu.

O simples pensamento sobre o que poderá acontecer se procrastinar e não conseguir finalizar o trabalho nos prazos requeridos tem tornado a vida dos pós-graduandos um inferno, não é mesmo? Há muitos estudantes cujo medo é tanto que chegam a ter síndrome do pânico, uma doença tratada por psiquiatras.

Mas por que procrastinamos? De onde vem esse desejo de deixar para depois? Quais são as causas desse mau hábito? O que podemos fazer para evitá-lo?

POR QUE PROCASTINAMOS?

O jornal Psychological Science publicou um artigo sobre pesquisas realizadas na Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, que revelam as origens da impulsividade e da procrastinação. Segundo essas pesquisas, esses hábitos são oriundos de fatores genéticos resultantes do processo evolutivo da humanidade.

Segundo o Dr. Daniel Goleman, tanto a impulsividade quanto a procrastinação são frutos da nossa mente emocional. Ele destaca que o nosso cérebro emocional, localizado no sistema límbico, existe muito antes do aparecimento do cérebro racional, situado no neocórtex, que surgiu pelo processo evolutivo.

As áreas emocionais entrelaçam-se com o neocórtex através de milhares de circuitos de ligação, o que possibilita poderes aos centros emocionais de influenciar no funcionamento global do cérebro. Esses poderes são uma espécie de proteção do ser humano em momentos de grande perigo à sobrevivência e são memórias guardadas na amígdala onde se armazenam as memórias inconscientes.

O cérebro possui um sistema de alarme complexo constituído por elementos químicos que preparam o corpo para reagir a emergências que ponham a vida em risco. Num momento de tensão emocional intensa, o cérebro emite um comando às glândulas suprarrenais para que essas secretem os hormônios epinefrina e norepinefrina, que preparam o corpo para lutar ou fugir. Isso provoca um estímulo na amígdala que grava na memória esses momentos de fortes emoções. Essas memórias inconscientes são reativadas cada vez que vivenciamos uma grande tensão emocional, por isso umas pessoas têm mais tendência do que outras a reagir com impulsividade e a procrastinar.

Para blindar-se da procrastinação, é importante conhecer esse complexo mecanismo cerebral e as razões que nos levam a adiar as tarefas. O professor de comportamento organizacional da Universidade de Calgary, Dr. Piers Still, descobriu as causas por que as pessoas deixam para depois o que precisa ser feito agora, ou seja, procrastinam.

CAUSAS DA PROCRASTINAÇÃO

1) PERSONALIDADE DO PROCASTINADOR

Algumas pessoas têm mais tendência a procrastinar do que outras. Isso tem a ver com a genética de cada uma ou com o mecanismo primitivo de urgência. Há pessoas que deixam tudo para cima da hora e há pessoas mais proativas.

Os homens das cavernas precisavam dispor de um mecanismo de atenção imediata. Este servia para proteger suas vidas, pois enfrentavam muitas situações de vida ou morte. Por isso, o clique da chegada de uma mensagem ao telefone, o alerta do Facebook, ou qualquer coisa que chame a sua atenção despertam o mecanismo primitivo da atenção imediata, fazendo com que você se distraia e deixe para depois o que é prioritário.

2) DISTRAÇÕES DO DIA-A-DIA

Uma chamada de telefone, uma mensagem do Facebook, o tilintar do WhatsApp, um toque de campainha, um convite para um bate-papo, entre outras. Evite essas distrações quando estiver realizando uma tarefa importante. Desconecte-se do Facebook, coloque o telefone no silencioso, utilize um fone de ouvido, comunique aos seus amigos e familiares que está ocupado e que não poderá atendê-los naquele período de tempo.

3)TAREFAS BANAIS, CHATAS

Tarefas que não lhe dão emoção, que não estimulam você, que são chatas e monótonas, que não são nobres, mas que precisam ser realizadas. Por exemplo: arrumar armários, passar roupa, entre outras. Que tal pensar em maneiras de reduzir esse tipo de atividades?

4)TAREFAS MUITO DIFÍCEIS

Tarefas que lhe parecem muito complicadas, que demandam muita energia e nas que você acha que pode fracassar porque são difíceis costumam ser empurradas com a barriga para evitar o insucesso.

5)MEDO DE FALHAR

Você adia uma tarefa na esperança de que ela desapareça e de que não precise fazê-la por causa do medo que você tem de fracassar. Este é um mecanismo de defesa inconsciente. Que tal enfrentá-la de imediato?

6)ACHAR QUE NÃO TEM TEMPO

Você é daquelas pessoas que nunca inicia suas tarefas por achar que não vai ter tempo para finalizá-las?

Se a tarefa for muito longa, você já pensou que pode haver uma solução? Que tal pensar nas possibilidades de solucionar esse problema ao invés de procrastinar?

SETE DICAS PARA DRIBLAR A PROCRASTINAÇÃO

1) CRIE SITUAÇÕES QUE EVITEM A FUGA

Construa um cenário que evite que você adie o que tem que fazer. Assim, você contém a fuga, gerando compromisso.

Você tem que fazer aquela prova de proficiência para poder estar habilitado a qualificar sua tese ou dissertação? Se não a fizer, será impedido de avançar?

Inscreva-se imediatamente no exame de proficiência; assuma o compromisso de dar carona a um colega que também precisa fazer a avaliação. Comprometimentos desse tipo vão impedir você de procrastinar.

2) DIVIDA AS TAREFAS COMPLEXAS EM TAREFAS MENORES

Quando olhamos para uma tese ou dissertação e vemos o quanto temos que escrever, nos assustamos e acabamos achando que não conseguiremos executar esse projeto.

Divida essa tarefa longa e cansativa em microtarefas, planejando ações diárias para realizá-las uma de cada vez. Quando você menos esperar, terá terminado a tarefa toda.

3) PLANEJE SEU TEMPO

Sabe aquelas pequeninas coisas que desconcentram você e, ao final do dia, lhe dão a sensação de que não fez nada?

Planejar suas ações diárias com um dia de antecedência faz com que você não perca tempo. Organize-as por ordem de prioridade. Se você fizer primeiramente o que é prioritário, estas deixarão de ser urgentes e evitarão o estresse.

Lembre-se de não passar mais de uma hora fazendo a mesma atividade, sem intervalos. Isso gera cansaço e diminui a produtividade. Inclua no seu planejamento de dez a quinze minutos de descanso a cada hora de trabalho ou estudo. Aproveite esses momentos para fazer um alongamento, ir ao banheiro, tomar água, um suco ou um café, ou realizar uma tarefa banal: como recolher roupa ou colocar roupa na máquina.

Você vai ver como os resultados são poderosos.

4) ANUNCIE PUBLICAMENTE SUAS DECISÕES

Você está fazendo sua monografia, sua dissertação ou sua tese? Anuncie a data na qual vai qualificar. Com isso, as pessoas vão cobrar você e o medo do fracasso fará com que você se esforce. Coloque dinheiro na jogada. Diga aos seus amigos que, se não cumprir o desafio, você vai pagar a eles uma quantia em dinheiro. Isso vai gerar um gatilho mental de compromisso que o ajudará a não desistir e não adiar.

5) FAÇA O PRIMEIRO O MAIS IMPORTANTE

Às vezes queremos deixar de procrastinar, parar de perder tempo, mas não conseguimos.

Nossa mente é como a bateria de um celular: vai cansando e precisa recuperar as energias. Seu cérebro vai perdendo forças ao longo do dia. Por isso, faça as coisas mais importantes primeiro. Deixe as tarefas urgentes para fazer após as importantes. Se você está sempre realizando atividades com urgência é porque está deixando de fazê-las quando são prioritárias, ou seja, “está empurrando-as com a barriga” e se colocando continuamente em situações de estresse.

6) NÃO DEIXE DE FAZER AGORA O QUE TEM QUE SER FEITO

“Não vou fazer agora, vou deixar para depois.” O amanhã não existe. Só existe o hoje, o agora. Dê limites a você: cada vez que o seu trollador interno ficar falando no seu ouvido “deixe para depois”, converse com ele e diga “Não mesmo, fulano! Vou fazer agora!”.

A força de vontade tem limites. Como se faz para colocar em prática o comportamento de não procrastinar? Criando hábito. E como se criam hábitos? Repetindo, em horários programados, as mesmas ações.

6) SAIBA DIZER NÃO

Por que nos sentimos culpados por dizer não? Porque temos medo de sermos considerados incompetentes ou de não sermos amados. Lembre-se: quem diz sim para todo mundo, está dizendo não para si mesmo. Aprenda a dizer não.